Ao Calado

Calado, inquieta essa alma quieta
Que quieta quer estar
Porque o quieto certo
Quer inquieto
Caminhar

Anúncios
Ao Calado

O Poema

O poema é uma ferida aberta
Que insiste em não fechar
Que arde enquanto aperta
Que dói onde ele está

O poema é notícia incerta
Incerto ao ressoar
Desvia a moça quieta
Que o deixa para lá

O poema, sim, é um tijolo
Pesado e tão pequeno
Que cai no pé do tolo
Num dia não sereno

O Poema