Sono – Hirasawa Riku

Dormir, sonhar...

Segundos, segundos, o escuro
Eu sinto o fechar de minhas pálpebras
Alugo o diurno e o noturno
Eu dispenso da vida a álgebra

Este é o silêncio mais sonoro
Estas são as falas mais caladas
É o universo novo que exploro
Eis o gentil mundo das fadas

Até que chamas passam a arder
Rota de fuga quero achar
Sombras escuras a temer
Em surto, tentas achar o ar

Mas o sol nasce co’alegria
Ouço o som do despertador
E se em sonho chorava ou sorria
O que importa é que já acordou

—————————————————————————————————————————————————

E você? Já acordou?

Anúncios
Sono – Hirasawa Riku

3 comentários sobre “Sono – Hirasawa Riku

  1. Detesto acordar e na maioria das vezes até acordo mas não desperto.
    Gosto tanto de dormir… Pena que não é sempre que posso!

  2. Jefferson de Souza Gomes disse:

    Formidável, Ricardo!
    Ri bastante com esse poema haha
    você sempre com essa métrica e esse ritmo marcantes que deixam sempre a poesia leve e gostosa….

    Parabéns!

    Ah deixa eu confessar uma coisa:

    Apesar de escrever, detesto ler poemas (por isso comento pouquíssimo), mas as suas poesias são realmente de destaque, que é um pecado não comentar.

    Um abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s