Calor em Meio a Lágrimas – Hirasawa Riku

Toda flor precisa de água
Toda flor precisa de água

Lágrimas me tocam
Meu peito dispara
Meu corpo se cala
E minh’alma chora

Mas seu quente abraço
Devolve o calor
A um corpo sem dor
Nosso eterno laço

Lágrimas me cobrem
Mas o seu sorriso
Que no fundo sinto
Somente com ele
Consigo viver

———————————————————————————————————————————————-

Amor é maravilhoso. Alguém duvida? Não devia!

Nós, seres humanos, passamos por dificuldades, tribulações e problemas constantemente, mas ao invés de buscar soluções e caminhos alternativos para contornar as situações adversas, preferimos nos fechar dentro de uma concha e guardar nossos suspiros para nossa própria consciência… Não vemos as coisas que Deus nos mostra continuamente.

Quando amamos alguém, não necessariamente uma paixão, isso nos ajuda a suportar as angústias. Encontramos suporte para os problemas mais obscuros, abrigo para as tempestades mais pesadas e ferrenhas. Entretanto, ao invés de sermos sempre gratos, muitas vezes, culpamos essas pessoas pelas tristezas que não conseguimos justificar, como se aquela pessoa que tanto nos quer bem fosse a responsável!

Caros leitores, o mundo dentro de nós é muito grande. Grande o suficiente para dar morada à acertos e erros, porém, insistimos em orgulhar-nos dos acertos e usar os erros apenas para sofrer e culpar outros pelas nossas dores. Esquecemo-nos do sofrimento alheio que pode ser tão grande quanto o nosso e não nos damos conta, não nos vêm à cabeça a possibilidade de ouvir, porque o nosso umbigo arde muito para que possamos lembrar da ferida aberta debaixo da camisa de seu companheiro… Debaixo da camisa porque não a vemos, mas ela dói!

Cada vez que brigamos com um amigo verdadeiro, com um irmão, ou uma namorada, estamos aumentando essa ferida neles, pois estamos chicoteando quem se importa conosco! Além disso, se o responsável pelas nossas dores for outra pessoa, de que adianta ficarmos ressentidos? Não adianta de nada! Como dizia William Shakespeare: “Guardar mágoa é como tomar veneno e esperar o outro morrer”.

Amigos e amigas, devemos olhar, sim, para dentro de nós, para dentro de nossos corações, pois precisamos nos conhecer melhor, entender nossas fraquezas e frustrações, nossos defeitos, nossas dificuldades. Da mesma forma, precisamos enxergar nossas qualidades, pois é usando-as que podemos ajudar o próximo.

No fim das contas, não existe nenhum remédio mais eficiente para a dor do que o perdão. Além disso, podemos ajudar nossos irmãos cada vez mais à medida que nos propomos a fazer isso! O amor mútuo é a força que pode salvar o mundo, permita que o sorriso de alguém seja sua fonte de alegria, permita que o seu sorriso seja a fonte de alegria de outra pessoa, um sorriso tem um poder muito maior do que muitas palavras juntas.

Calor em Meio a Lágrimas – Hirasawa Riku

O Dia Em Que O Céu Ficou Vinho Tinto – Hirasawa Riku

Até no mais escuro dos dias, há uma brecha de luz
Até no mais escuro dos dias, há uma brecha de luz

Está dando tudo errado
Difícil de acreditar
Pois com tantos nós atados
Sinto muita falta d’ar

Parece que o azul celeste
Se fechou num vinho tinto
Com tudo que me fizeste
Me sentir como eu me sinto

É difícil de entender
A lógica dos fatores
É como querer bater
Em dois grandes lutadores

Mas tudo ainda é curioso
Pois não consigo chorar
Pois eu continuo tendo asas
E sei que consigo voar

————————————————————————————————————————————————
Sabe aquele dia que parece que nada dá certo? Aquele dia em que tudo é como chutar uma parede: doloroso e inútil? Aquele dia em que seus problemas parecem crescer e ter o triplo do seu tamanho?
Pois é… É muito desagradável! Parece que todos os nossos esforços para melhorar as coisas são em vão e que no fim de tudo, nada melhora… Temos a sensação constante de que há uma complexa conspiração do universo contra as nossas vontades e desejos e, assim, nos revoltamos contra tudo e todos. Ficamos mais ríspidos e dispensamos os comentários alheios, preferindo ficar reclusos em nosso íntimo sofrimento.
É aí que cometemos o maior de nossos erros.
Quando decidimos nos fechar, as portas para melhorar o nosso campo de visão se fecham: como enxergar a luz se fechamos os olhos? Esquecemos as possibilidades maravilhosas que a vida guarda diariamente para nós, as pessoas mais prestativas que gostariam de nos apoiar em momentos delicados; mas o relógio não para de girar, assim, enquanto perdemos tempo em que poderíamos estar buscando um sorriso para curtir o nosso infortúnio, a nossa desgraça, a nossa dor.
Tornou-se hábito olhar para as direções erradas, para os lugares errados na hora da dor. Em vez de remoer as nossas árduas complicações, temos que buscar alternativas que fujam da irritação e do ódio. Soluções que irão nos fazer bem são possíveis! Nenhuma pessoa vai se sentir melhor em relação a qualquer problema apelando para vigança ou deixar-se cair em depressão… É preciso fazer algo extremamente difícil, mas que sempre acalenta o coração: perdoar.
Se você é o culpado pelos seus problemas, perdoe-se. Se seu marido é o culpado pela sua dor, perdoe-o. Se sua amiga é a culpada por suas preocupações, perdoe-a. Se seu vizinho é o culpado por suas angústias, perdoe-o. Se um estranho é o culpado pela sua inquietação, perdoe-o. O perdão não é um presente que você dá para as outras pessoas! Engana-se quem pensa desta forma. O perdão é o maior presente que alguém pode dar pra si mesmo. Talvez, com mais carinho e compreensão, cada um será mais capaz de encarar as adversidades impostas pela vida com mais energia!
Faça um favor para você mesmo: perdoe.
O Dia Em Que O Céu Ficou Vinho Tinto – Hirasawa Riku

Soneto das Flores – Hirasawa Riku

Em nosso primeiro ano, tudo sempre foram flores
Em nosso primeiro ano, tudo sempre foram flores

Este lugar é bonito e grandioso
Ele exala este magnífico aroma
E providencia este contínuo gozo
Pois estás aqui o inverso de Sodoma

E esse gigante campo tão pomposo
Coisas maravilhosas juntas soma
Instrumentos em ritmo harmonioso
E o grande Pai, que pela mão nos toma

Foi assim que foi crescendo o nosso amor
Sempre livre das discussões as dores
Como a bela estrela temos fulgor

Em nossa vida não fomos atores
Nossos narizes sentem todo o odor
Pois conosco tudo sempre são flores

————————————————————————————————————————————————–

Poesia em homenagem à minha amada namorada um dia depois de termos completado um ano de namoro.

Namoro: uma palavra que se tornou ambígua nos dias de hoje. Atualmente, já se confunde o sentido do namoro com o casamento, namorados mantém relações sexuais e, muitas vezes, moram juntos. Juntamente com esta alteração na sociedade, que vem condenando o chamado “namoro santo”, traz consigo um triste fato: a quantidade de divórcios tem aumentado exponencialmente.

Com a liberdade que os adolescentes criaram para manter relações antes reservadas ao matrimônio, a prioridade para saber se um relacionamento vai funcionar passou a ser o prazer físico. “Tem que ficar com ela antes pra saber se vai gostar, né?”, eis uma frase comum nos jovens de hoje. O diálogo, que é o maior problema em grande parte dos casamentos que não tem um final feliz, vai sendo, desde o início, colocado em segundo plano. Os jovens não se preocupam em ter longas conversas, conhecer mais sobre a família daquela que poderá, um dia, ser o seu futuro marido ou a sua futura esposa.

As pessoas desenvolvem um relacionamento embasado no calor gerado pelo prazer físico e acabam aceitando a idéia de que brigas e discussões são naturais, mas isso acaba não resistindo ao compromisso máximo do casamento. A sociedade vem, inclusive, massacrando aqueles que se recusam à adequar-se à nova corrente de idéias: não concordar com o sexo antes do casamento não é mais um simples pensamento, a sociedade rotulou aqueles que pensam assim como ‘atrasados’, ‘retrógrados’, ‘conservadores’, entretanto, ignoram os dados que indicam que o índice de casamentos que se mantém firmes após os dez primeiros anos é maior entre os que se casam virgens do que os que não tiveram “namoros santos”.

Um namoro sem brigas, discussões e relações sexuais, não só é possível, como é extremamente positivo para a durabilidade e qualidade da relação. Provavelmente, muitos namoros poderiam ter sido salvos se o tempo gasto com sexo tivesse sido investido em conversa, diálogo. Conhecer a pessoa que está ao seu lado é uma forma de fortalecer os laços do relacionamento.

Deve-se entender que isso não é necessariamente um pensamento religioso. É fato que a religião defende essa linha de pensamento, mas essa fórmula foi aplicada com sucesso durante muitos séculos na sociedade mundial. Não é difícil ver que os divórcios eram muito mais raros nas gerações de nossos avós do que nos dias atuais. Eis um exemplo prático de algo que a mídia vem tentando descaracterizar, algo importante que  as pessoas não querem aceitar como tanto.

O namoro tem um sentido. Buscá-lo é fundamental.

Soneto das Flores – Hirasawa Riku